top of page

Patrocinadores

WhatsApp Image 2020-06-20 at 19.43.01.jp
  • Foto do escritorJota Jorge

Opinião objetiva - O anjo das pernas tortas

No dia 20 de janeiro completou 38 anos sem Manuel Francisco dos Santos que seguiu para outro plano, deixando quem ama o futebol com um vazio enorme no peito. Garrincha, o "Anjo de Pernas Tortas", depois de nos encantar com seus dribles, seu futebol moleque, irreverente, irresponsável até, finalmente era driblado pelo alcoolismo e imortalizava um estilo de jogador jamais visto depois dele.

Garrincha amava jogar futebol. Pouco importava pra ele jogar num Maracanã lotado num Botafogo x Flamengo, ou numa pelada descalço com amigos em Pau Grande. Garrincha era a arte do futebol em sua essência. Um bailarino com fintas desconcertantes.

Todos os "joões" (era assim que se referia a seus marcadores) sabiam que ele só saía para um lado, o direito. E ainda assim eram ludibriados por pernas que, já era um milagre mantê-lo em pé, quanto mais fazer o que faziam.

As duas pernas tortas para o lado direito deixaram gravadas em minhas retinas, e de tantos quantos amam o futebol e tiveram oportunidade de ver, imagens inacreditáveis, surreais, inimagináveis.

Pena que fora das quatro linhas não teve a mesma habilidade. Uma vida amorosa conturbada, uma companheira, Elza Soares, que fez tudo para que ele não enveredasse para o caminho do álcool, contusões sérias provocadas pelas pancadas de seus marcadores, fizeram com que Garrincha se entregasse ao vício na ânsia de fugir dos problemas.

Sem cultura e sem o alicerce familiar, acabou sendo presa fácil da decadência. A "Estrela Solitária" conforme descrito brilhantemente por Ruy Castro em seu livro, perdeu seu brilho. Apagou. Ah, Mané! Que saudade! Você foi o orgulho do Glorioso Botafogo. Vi "in loco" torcedor bater a cabeça no cimento da arquibancada com uma jogada sua. Vi torcedor sorrir, chorar de alegria, vi a emoção no olhar de cada um a cada drible seu. Vi a bola, sempre obediente, grudada a seus pés se sujeitando a todos os seus caprichos, submissa a sua genialidade.

Que pena, Mané, tudo terminar assim. Mas na minha lembrança você será sempre o Mané Garrincha, o Anjo das Pernas Tortas, a Estrela Solitária, o maior malabarista do futebol. Agradeço a Deus por ter podido te ver em campo. Você é e sempre será o Garrincha , Alegria do Povo!

28 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page